Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

AMESTERDÃO VAI CONSTRUIR ESTACIONAMENTO PARA BICICLETAS DEBAIXO DE ÁGUA

Mäyjo, 27.02.15

amesterdam_SAPO

É oficial: Amesterdão, a Meca da mobilidade sustentável, ficou sem espaços para estacionar bicicletas. Não é um dos mais “normais” problemas para uma cidade dos nossos tempos mas, no caso da maior cidade holandesa, é um desafio de muitos anos: há demasiadas bicicletas nas ruas e estradas e encontrar um local para as deixar, sobretudo à noite, é quase impossível.

Para contornar a situação, a cidade anunciou que vai escavar um espaço com capacidade para 7.000 bicicletas debaixo do Ij, uma antiga baía e actual lago.

O lago forma uma espécie de fosso à volta da Estação Central da cidade – a principal e mais movimentada da cidade – e o novo parque será acessível através de um túnel que liga o sistema de metro da cidade.

Até 2030, Amesterdão estima que precise de 21.500 novos lugares de estacionamento para bicicletas, pelo que vai também criar duas ilhas flutuantes com espaço para 2.000 bicicletas cada.

Cerca de 57% dos residentes de Amesterdão utilizam a bicicleta todos os dias – 43% deles no caminho entre casa e o trabalho. A cidade é praticamente plana, compacta e existem caminhos exclusivos para bicicletas, pelo que a bicicleta é o melhor meio de transporte – até porque há vários locais onde os carros estão impossibilitados de passar, devido aos canais.

Ainda que as zonas mais afastadas do centro tenham espaço para abrigar as bicicletas, o inverso acontece na zona histórica, habitualmente congestionada por bicicletas em cima de bicicletas. Em 2013, a cidade mandou retirar 73.000 bicicletas das ruas. E as bicicletas em segunda mão são tão baratas que, para muitos, é preferível deixá-las abandonadas ou retiradas do que pagar as multas.

Como explica o CityLab, numa cidade como Amesterdão a melhor solução é construir debaixo e sobre a água. Quando terminado, o novo edifício será uma obra interessante de arquitectura e engenharia. Dentro de 15 anos, ele albergará milhares de bicicletas.

Foto: Jos Dielis / Creative Commons